var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(lrs, s); })(); window.intercomSettings = { ... // TODO: Add any extra data you want in Intercom to your intercomSettings "avatar_set": true, "friend_count": 32, "app_id": "w1sryv7i" }

Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

Inbound marketing

Segundo Peter Drucker, o propósito de qualquer negócio é conquistar e manter cada vez mais clientes. Quando todas as ações tradicionais parecem insuficientes, surge a pergunta: o que está errado?

Apesar da atenção estar voltada a como gerar mais e melhores leads alimentar o funil de vendas, melhorar o desempenho das equipes comerciais, gerenciar relacionamentos de forma a entregar valor e blindar a empresa contra a concorrência, as empresas muitas vezes não se dão conta do básico:

O mundo mudou. Os hábitos de consumo e maneiras de comprar também.

Os consumidores estão cada vez mais conectados, a informação é disponível e abundante e as empresas já não controlam mais sua comunicação. Mudanças no ambiente pedem novas abordagens.

A internet nivelou o poder de argumentação e criou inúmeros canais de mão dupla, onde os consumidores efetivamente podem discordar e acabar com a reputação de marcas e produtos em alguns comentários espalhados pela rede, principalmente se estes forem influentes nesses meios, e com certeza, muitos deles são. Grandes, pequenos, nacionais, globais, enfim, qualquer pessoa ou empresa hoje pode instantaneamente dizer o que quiser, quando quiser.

Mais que ações isoladas, Inbound Marketing pode ser definido como a adoção de uma nova postura empresarial em relação a como se comunica com seu mercado-alvo.

Envolve o entendimento das mudanças ocorridas nos processos decisórios das empresas e consumidores e a adoção de respostas coerentes (através de metodologia estruturada) a essas constantes mudanças de padrões de comportamento, busca (pesquisa) e compra dos consumidores e das empresas.

O Inbound Marketing reúne as melhores práticas de diversas técnicas – hoje isoladas e utilizadas de forma parcial ou incompleta pelas empresas – e as reúne sob um mesmo guarda-chuva. Uma delas é o Marketing de Conteúdo.

Quando se fala em adotar uma nova postura e passar a produzir conteúdo, muitas empresas acreditam que não é o core business delas. Não entendem por que produzir conteúdo. Que conteúdo e como deverão produzir, com qual frequência, para quem.

Outro fator importante levantado é a inexperiência ou a falta de preparo de profissionais para tal. É preciso contratar um jornalista? Assessoria de imprensa? Tudo parece muito complicado, principalmente quando esse conteúdo não deve vender os produtos ou serviços da empresa.

Antes de mais nada, é preciso definir o propósito desse conteúdo: deve ser útil, relevante, resolver os problemas e as necessidades do seu público-alvo.

Dito isto, logo se percebe que, se sua empresa não conhece seu público-alvo, não consegue se dirigir a ele.

Quais são suas preocupações? O que o faz perder o sono? Que tipo de informação sobre os produtos e serviços que eu ou meus concorrentes vendem seria útil ao público-alvo?

Vendas complexas geralmente envolvem mais de um tipo de comprador –  técnico, financeiro, tecnológico, por exemplo. É preciso definir essas “buying personas” para poder falar a língua de cada uma delas.

Após esse mapeamento, aí sim, pode se pensar em começar a produzir conteúdo.

Novamente: útil, relevante, que resolva os problemas e as necessidades de seu público-alvo.

Posts relacionados:

Já dizia Peter Drucker sobre o Marketing…

As 6 habilidades básicas para profissionais de Marketing de sucesso

White papers que podem lhe interessar:

SINAIS DE FALTA DE ALINHAMENTO ENTRE MARKETING E VENDAS

7 PASSOS PARA ALINHAR MARKETING E VENDAS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
0 comments… add one

Leave a Comment